Dentista é acusado de matar mais de mil onças-pintadas no Acre

O Ministério Publico Federal (MPF) denunciou um grupo ilegal de caça organizada que atua no interior do Acre. Os responsáveis organizam caçadas a animais selvagens há anos. Segundo a denúncia, um dos membros mais antigos e ativos deste grupo é um dentista que já teria matado mais de mil onças-pintadas ao longo de 30 anos.
dentista acusado de matar onçasFoto: MPF/Divulgação

Sete homens já foram presos nas investigações, sob acusação de matar milhares de animais silvestres, inclusive ameaçados de extinção. As onças-pintadas eram os principais alvos, mas eles também matavam capivaras, porcos-do-mato e veados-mateiros, por exemplo.

Leia também:

Pitbull cega abandonada em parque emocionou a todos e ganhou vida nova

20 Fotos de gatinhos fofos para deixar seu dia muito melhor

Ambientalista alemão é ameaçado por proibir caça em reserva animal do Ceará

Entre os detidos estão um médico, um servidor do Poder Judiciário, um agricultor, um agente penitenciário e um eletricista. Alguns não tiveram as profissões divulgadas.

Para chegar até os acusados, foram usadas escutas telefônicas e monitoramento de celulares. Nos aparelhos, foram encontrados fotos e vídeos de animais mortos ou sendo mortos. Grupos de compartilhamentos de mensagens foram monitorados antes da ação policial.

matador de onça

Durante três meses de monitoramento, foram organizadas 11 caçadas. Nelas, morreram oito onças-pintadas, 13 capivaras, 10 cães e dois cervos. Em uma das imagens anexadas ao processo, o dentista aparece carregando uma onça morta nas cosas cercado de cães de caça.

Recomendamos para você



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *