Morre primeiro pit bull da Polícia Militar do Paraná

Por 03/09/2019
Morre primeiro pit bull da Polícia Militar do Paraná
COMPARTILHE Curiosidades no Whats

Rock foi o primeiro pit bull da Polícia Militar do Paraná. Ele morreu de causas naturais aos 13 anos de idade. De toda vida, ele dedicou 11 anos à carreira policial. O cão já era conhecido nos estádios de futebol, principalmente na capital, Curitiba.

Ele trabalhava na linha de frente de combate a brigas de torcidas. Era tão comum nos estádios que se tornou um personagem nas partidas. Ele integrava um grupo de elite, especializado nesse tipo de atuação.

Rock pit bull da polícia

Rock durante apresentação em uma escola
(Foto: Arquivo pessoal)

O início da carreira de Rock na PM foi bem curioso. Quando filhotinho, estava à venda em um canil, mas a empresa acabou fechando, após falência. Sendo assim, ele acabou doado a um policial, o soldado Luiz Fernando Cruz.

O cãozinho foi encaminhado à COC (Companhia de Operações com Cães da PM). Ele tinha apenas um ano quando começou o treinamento.

Primeiro pit bull da Polícia Militar paranaense sofreu preconceito no início

Quando Luiz Fernando chegou com o pequeno pit bull, a primeira reação foi de desconfiança. Essa raça tem fama de ser violenta e, até mesmo, descontrolada. Mas sabemos que tudo não passa de preconceito.

O soldado convenceu a companhia de que Rock seria uma boa aquisição, e o filhote foi aceito. No fim das contas, o porte do cão serviu como uma luva ao propósito. Isso, pois ter um pit bull na linha de combate às brigas intimidava e impunha respeito.

cão policial

Rock e Luiz Fernando
(Foto: Arquivo pessoal)

Leia também:

Cão levou quatro tiros protegendo dono durante assalto

Homem de Ferro foi multado durante blitz da Lei Seca

Gatos copiam personalidade dos donos, afirma estudo

Em entrevistas, o policial narrou uma passagem marcante entre ele e Rock. Foi em 2011, na histórica goleada do Coritiba em cima do Palmeiras (6×0) pela Copa do Brasil. A torcida do time paulista, revoltada, tentou invadir um camarote da diretoria, e a COC entrou em ação.

De acordo com o parceiro de Rock, apenas a presença do cão foi suficiente para esvaziar o espaço e intimidar os torcedores. O pit bull e mais um cão policial deram conta de dezenas de invasores e dispersaram os exaltados palmeirenses.

COMPARTILHE Curiosidades no Whats
Gravatar
Redator e Analista.
Está matéria tem 0 comentários. Seja o primeiro!

Fale o que Você Pensa

*
*