Cientistas afirmam que uso de celular pode gerar “chifre” no crânio

Por 26/06/2019
Cientistas afirmam que uso de celular pode gerar “chifre” no crânio
COMPARTILHE Curiosidades no Whats

Cientistas australianos afirmam que jovens que passam muito tempo no celular estão desenvolvendo uma deformação no crânio. De acordo com eles, o fato de ficar com a abaixada por muito tempo está causando o problema.

A protuberância na parte de trás da cabeça seria resultado do uso excessivo do celular. Esse tipo de calo ósseo, em resumo, ficaria na ligação entre o crânio e o osso do pescoço.

Por outro lado, os dados colhidos pelos pesquisadores da Universidade de Sunshine Coast, em Queensland, levantaram controvérsias.

Os responsáveis são David Shahar e Mark Sayers. Na mídia australiana, a análise chegou ser divulgada de forma bem estranha. A mídia falava de um “chifre” na parte de trás do crânio dos jovens. O uso do celular como causa foi reforçado também.

Deformação no crânio seria resultado da postura dos jovens ao celular

Ainda de acordo com os responsáveis pela pesquisa, o celular é o culpado. A mudança na postura dos usuários, que curvam o corpo e abaixam a cabeça, estaria no centro da causa.

Segundo os cientistas, o uso do celular está transformando a forma humana. A exigência de olhar para baixo, em vez de para cima, estaria provocando o tal calo ósseo nas nucas.

Os dados divulgados seriam as primeiras evidências documentadas sobre alterações físicas causadas pelo uso da tecnologia. Mas nem toda a comunidade científica concordou com os apontamentos.

Leia também:

Sexo é um antidepressivo natural

6 sintoma de doenças mentais que o corpo te dá

Ar poluído pode causar problemas mentais e aumento na criminalidade

Estudo foi contestado

chifre no crânio

Um “chifre” no crânio estaria aparecendo em jovens (Foto: Reprodução/Nature)

Uma reportagem do The New York Times foi contra as avaliações de Shahar e Sayers. Participaram da matéria um profissional de quiropraxia e um professor de biomecânica.

Segundo a reportagem, os raios-x usados para mostrar o caso são antigos. Afirma ainda que não houve análise de um grupo de controle, ou seja, não foi comprovada causa e efeito. Sem contar que as pessoas avaliadas já tinham problemas. Sendo assim, só teriam sido analisadas pessoas que já apresentavam defeitos na postura ou nos ossos.

Em conclusão, porém, um especialista entrevistado pelo NYT, na mesma reportagem, disse que, em teoria, ficar com a cabeça curvada por, sim, causar uma saliência na nuca.

COMPARTILHE Curiosidades no Whats
Gravatar
Redator e Analista.
Está matéria tem 0 comentários. Seja o primeiro!

Fale o que Você Pensa

*
*